ABC do Metal: letra Z

by Anderson Frota

ABC DO METAL APRESENTA – Bandas com a letra Z

Escolhemos 5 bandas por letra, uma vez por semana, para você ampliar seus conhecimentos! Confira as bandas com a letra Z!

ZÊNITE – Death Metal – Origem: Belém, Brasil – Formado em 1987

Release: Zênite é uma veterana banda de origem paraense. Já se vão mais de trinta anos desde sua fundação em 1987. O vocalista Marcelo Histeria e o baixista Luiz Lobato são os integrantes mais longevos, estando desde a primeira formação ao longo da qual já passaram outros músicos nas fileiras.
A banda, em determinado momento, mudou a sua base de operações para São Paulo e conta com três álbuns em sua discografia, onde um idoso personagem principal tem transitado por todas as capas.

Músicas de destaque: “Worms of the Hate”, “Last Drink of Blood”, “Smile, Christian”, “Return of the Devil”, “Rotten”

Opinião:  O Death Metal do Zênite progrediu gradualmente ao longo de seus álbuns. No primeiro, “Brutal Enigmatic Prophecies”, o lado Thrash pesou mais fundo. Tanto esse, quanto o segundo, “Tales of Death”, foram parcialmente prejudicados pela produção, fato que não ocorreu em “Following the Funeral”, de 2013, que soa pesado e contundente, com a melhor capa e músicas insanas, onde podemos perceber traços de influência do Benediction.

Novidades: A banda está no cast do tributo brasileiro ao Kiss, “Brazil Rock City” com a faixa “Tough Love”.

ZOETROPE – Thrash Metal – Origem: Estados Unidos – Formado em 1977

Release: Tendo lançado seu primeiro álbum, “Amnesty”, em 1985, a banda formada em 1977, na cidade de Chicago, teve tempo para desenvolcer aos poucos o seu som. O vocalista e baterista Barry Stern liderou a primeira fase, acompanhado dos guitarristas Kevin Michael e Ken Black e do baixista Calvin Humphrey. Após o segundo disco, “A Life of Crime”, de 1987, Stern deixou a formação para integrar o Trouble, com quem gravou os discos “Trouble” e “Manic Frustation” e, porteriormente fez uma turnê com o Cathedral.
Kevin Michael fez mudanças na formação e gravou o terceiro álbum em 1993, denominado “Mind Over Splatter”, mas a empreitada não vingou e a banda encerrou atividades, não havendo notícias de projetos posteriores do guitarrista. Barry, por outro lado, faleceu em 2005, por complicações cirurgicas decorrentes de uma substituição de quadril.

Músicas de destaque: “Break Your Back”, “Seekin Asylum”, “Unbridled Energy”, “Hard to Survive”, “Guilt By Association” e “Deceased Corpsmen”

Opinião: o fator Thrash na música do Zoetrope surgiu mais proeminente em seu segundo trabalho. O primeiro fica na transição entre um Metal mais vigoroso e um proto-Thrash. Alguns elementos de Hardcore também podem ser identificados e são creditados às influências de bandas como 7 Seconds e Life Sentence. Não à toa, o Zoetrope preferia denominar o seu estilo de Street Metal.

Novidades: Não há novidades após a dissolução da banda.

ZNÖWHITE – Speed/Thrash Metal – Origem: Estados Unidos – Formado em 1982

Release: Também da cidade de Chicago, o Znöwhite foi quase que integralmente uma banda de núcleo familiar: os irmãos Sparks e Ian Tafoya, bateria e guitarra, juntos com o primo Nicky Tafoya no baixo. A eles se uniu a vocalista Nicole Lee e essa formação durou por algumas demos. Na época do EP de estreia, “All Hail to the Thee”, Nicky já havia saído e Ian assumiu a gravação do baixo.
O EP “Kick ‘em When They’re Down” veio sem alterações, mas por ocasião do álbum “Act of God”, apenas Ian e Nicole permaneceram, trazendo Alex Olvera para o baixo e Scott Schafer para a bateria. Nicole, após a gravação, deixou o Znöwhite e foi substituída na turnê pela cantora Debbie Gunn, que terminando esse compromisso, retornou para sua banda original, Sentinel Beast. Os restantes resolveram terminar o grupo em 1989 e formaram o Cyclone Temple, com Ian passando a usar seu nome real, Greg Fulton.

Músicas de destaque: “Sledgehammer”, “Do or Die”, “War Machine”, “Rest In Peace”

Opinião: A música do Znöwhite é o típico Thrash americano dos primeiros anos. Pode agradar aqueles que procuram uma sonoridade na linha do antigo Iron Angel ou da geração atual que aprecia bandas como Enforcer.

Novidades: A banda derivada, Cyclone Temple, também já encerrou atividades, em 1994. Não há novidades a respeito de nenhuma das duas.

ZANDELLE – Heavy/Power Metal – Origem: Estados Unidos – Formado em 1996

Release: o Zandelle foi formado em New York, no ano de 1996. Ao longo de todos seus anos de atividade, apenas o vocalista George Tsalikis tem permanecido desde a primeira formação.
George foi o vocalista da Gothic Knights, antes de criar o Zandelle. A música da banda investe nos temas épicos e sua discografia conta com um EP e cinco álbuns, sendo “Perseverance”, de 2015, o mais recente.

Músicas de destaque: “Evil Entity”, “Bringer of Doom”, “Crimson Rain”, “Scream My Name”, “Unending Fortitude”, “Midnight Reign”, “Revengeance (From the Ashes)”

Opinião: O Zandelle fez parte da explosão de bandas melódicas dos anos 90. Provavelmente, pelo fato de serem americanos, não cresceram tanto quanto se tivessem origem europeia e participado do boom naquela região, onde a sua proposta épica e melódica possui mais aceitação. Suas composições demonstram bastante emoção e são calcadas mais em melodia do que em velocidade, com um excelente trabalho de guitarras e uma performance vocal com méritos próprios.

Novidades: Desde a conclusão das atividades de divulgação de seu último disco, a banda não tem informado seus próximos passos, mas seu vocalista George Tsalikis tem se mantido em alta atividade, lançando um álbum solo e atuando como vocalista nos discos mais recentes das bandas Porphyra e Overlorde.

ZEROZONIC – Groove Metal – Origem: Noruega – Formado em 2004

Release: Daniel “Peisy” Olasen é guitarrista da bem estabelecida banda de Death Metal norueguesa, Blood Red Throne, além de integrar outras bandas e atuar ao vivo com o Satyricon. Em 2004, ele criou o Zerozonic, mais voltado para o Groove e o Thrash.
Os dois primeiros álbuns, “Dead on Arrival” e “God Damn, Better, Best”, de 2007 e 2010, respectivamente, contavam com a participação do vocalista Leo Moracchiolli, bem conhecido pelos covers que faz de músicas diversas adaptadas para o Metal.
Em 2012, saiu “Aftersane”, já com o vocalista Arvid Tjelta, e a discografia é complementada com o autointitulado disco de 2017, seu último álbum até a presente data.

Músicas de destaque: “Back to Me”, “Enter Night and Day”, “I Am The Motherfucker”, “It Never Dies”

Opinião: o Zerozonic é bastante calcado em Pantera e Machine Head. Sua musicalidade é forte, mas falta um pouco mais de personalidade. O trabalho mais recente, “Zerozonic”, está alguns passos além dos anteriores, em termos de pegada, mas ainda existe espaço para desenvolver uma assinatura própria.

Novidades: A banda acabou de lançar um novo single, “Devil’s Seed”

You may also like

EnglishItalianJapanesePortugueseSpanish